Desfilar para o ídolo Zico foi uma emoção muito intensa para os atletas
Zico elogiou a Copa A Gazetinha e deu muitos autógrafos.
E o Galinho voou para Vitóriano helicóptero do José Ignácio.
Zico recebeu a Coordenação da Copa A Gazetinha em Brasília
Nem os políticos conseguiram estragar a presença do Galinho na Copa A Gazetinha Relato de Janc, Coordenador Geral da Copa A Gazetinha Arthur Antunes Coimbra, o Zico, teve os seus sessenta anos de vida comemorados intensamente em todo o Brasil e até no exterior. Uma comemoração merecida pelo muito que fez para o futebol. E estas comemorações nos fez lembrar das presenças do Zico na Copa A Gazetinha. A primeira foi quando – ainda como jogador do Flamengo – entregou aos atletas da Desportiva o troféu de campeão da Copa A Gazetinha, conquistado pelos grenás na preliminar que o time carioca iria fazer contra a Desportiva naquela noite. A segunda presença de Zico – agora como Secretário de Desportos do Governo Federal - foi em Conceição do Castelo, no dia 5 outubro de 1990, na abertura festiva das finais gerais da 15ª Copa A Gazetinha. Naquela época, as finais da Copa A Gazetinha aconteciam entre outubro e novembro. Por isso, quando me veio a ideia de convidar o recém-empossado Secretário de Desportos do governo Collor para a nossa festa – com a anuência dos diretores da Rede Gazeta - , resolvi fazer o convite com antecedência, conseguindo agendar um encontro com ele para o final do mês de agosto daquele ano. Este agendamento foi facilitado porque houve a ajuda do nosso amigo e desportista José Maurício Souza, na época presidente da Associação dos Servidores do Senado Federal, que participava da Copa A Gazetinha Nacional. Zico nos recebeu muito bem e levamos alguns recortes de A Gazeta que falavam da Copa A Gazetinha e me lembro de que ele nos disse ter boas informações da competição, passadas pelo seu amigo Luis Fumanchu, ex-companheiro dele no ataque do Flamengo. Acertamos com o Zico que a Rede Gazeta enviaria as passagens aéreas para ele e que a ida dele de Vitória para Conceição do Castelo seria no helicóptero do Governo do Estado e que, além dele, iria o governador Max Mauro, eu e um atleta que iríamos escolher. Ele disse que estava bem, ficando tudo acertado, regressamos felizes da vida e passamos a anunciar a grande novidade: a presença do Galinho nas finais da Copa A Gazetinha. Estava programado que ele chegaria na tarde do dia 4 de agosto, sexta-feira, pernoitaria em Vitória e sábado de manhã seguiria para Conceição do Castelo no helicóptero do governador. Mas, na tarde de quinta-feira, o meu ramal toca e do outro lado estava o Zico. Ele, bastante reticente e constrangido - dava para perceber pelo tom da sua voz – me informou ter recebido ordens do Ministro Cabral (Ministro da Justiça) que ele não poderia ir de Vitória para Conceição do Castelo no helicóptero do Governo do Estado e que teria que ir no helicóptero do José Ignácio, candidato do então presidente Collor ao governo do Espírito Santo, na disputa do segundo turno com Albuíno de Azeredo, candidato do Max Mauro. Percebi a conotação política do problema. Tentei explicar ao Zico que a Copa A Gazetinha nunca havia se prestado para fazer campanha eleitoreira e que ele, como uma autoridade do Governo Federal em visita ao Espírito Santo, iria ser recepcionado pela nossa autoridade máxima e seria transportado por um helicóptero do governo do Estado, não havendo politicagem nestas ações.Mas não teve jeito. Afinal, eram ordens superiores (Collor) e teriam que ser obedecidas. Aí, comecei a pensar como iria administrar esta situação. O que estava acontecendo era uma interferência política, arquitetada pelaturma do José Ignácio, achando que o Albuíno poderia ter ganhos eleitoreiros com a situação, como por exemplo, indono helicóptero para Conceição do Castelo e saindo da aeronave abraçado com o Zico. Mas isto nunca aconteceria porque havíamos acertado com o governador Max Mauro quais as pessoas que iriam no helicóptero e nesta lista não constava o nome do Albuíno. A primeira providência que tomei foi a de comunicar a direção da Rede Gazeta o que estava acontecendo. O pessoal não gostou nada disto e me lembro de que o Cariê me perguntou se tinha como cancelar a vinda do Zico. Eu disse que seria improvável e, entre várias explicações, argumentei de como iríamos justificar a ausência do Galinho para aquelas centenas de jovens atletas que estavam esperando o momento mágico de estar ao lado ídolo. E eis que Deus me iluminou e me indicou a solução para o problema. Procurei a direção da Rede Gazeta e sugeri a mudança do roteiro do Zico. Um veículo da Rede Gazeta iria buscá-lo no aeroporto e antes de ir para Conceição do Castelo o Galinho faria uma visita à empresa. De lá, iriamos para Conceição do Castelo, com uma parada no restaurante do Hotel dos Pinhos, em Pedra Azul. Ali,a Rede Gazeta iria recepcionar o Zico com um almoço, com a presença de atletas e representantes de cada time participante das finais gerais, quando todos poderiam abraçar e tirar fotos com o jogador. O retorno de Zico para o Aeroporto de Goiabeiras seria no helicóptero do Zé Ignácio. O roteiro foi aprovado e foi um sucesso. Na sexta-feira, dona Maria Helena, mulher do Zé Ignácio, me ligou, dizendo que desejava fazer a programação da visita do Zico. Eu estava tão aborrecido com aquela história toda que fui áspero com ela, dizendo que a programação já estava feita e que a Copa A Gazetinha não era palanque político. Tudo acertado, na manhã do dia 5, fomos para o aeroporto. O Zico chegou num jatinho (que até hoje não sei de quem), juntamente com o Gerson Camata, que a partir dali não desgrudou do Galinho. Fomos para a sede da Rede Gazeta e lá o Galinho deu um monte de autógrafos para os flamenguistas e não flamenguistas e o Cariê o presenteou com um estojo contendo os famosos pios de pássaros de Cachoeiro. No Hotel dos Pinhos a meninada já esperava o Galinho e foi aquele alvoroço quando ele chegou. Lá já estavam os candidatos Zé Ignácio e Albuíno, o Governador Max Mauro, secretários estaduais, alguns prefeitos e outros políticos. E na hora de formar a mesa principal é que eu tive que usar a diplomacia. Fiz o seguinte: chamei o Zico e disse para ele sentar na cadeira do centro da mesa. Feito isto, coloquei a turma do Governador Max Mauro - incluindo o Albúino– de um lado e a turma do Zé Ignácio – incluindo o Camata – do outro lado. Pronto! Estava, democraticamente, formada a mesa e todos podiam comer à vontade, sem medo de uma indigestão. Zico foi festejado com um foguetório quando chegou ao estádio do Caxias, local dos jogos. Continuou dando autógrafos e na sua fala não faltaram elogios ao projeto da Copa A Gazetinha. Terminada as solenidades, o Galinho voou no helicóptero do Zé Ignácio para o aeroporto de Vitória. Quem participou da presença do Zico em Conceição do Castelo, até hoje lembra com saudades daqueles momentos históricos da Copa A Gazetinha, que nem a má política conseguiu empanar. PS- A eleição aconteceria dias depois das finais de Conceição do Castelo. O candidato Albuíno ganhou e tem gente que até hoje garante que a atitude do seu adversário em tentar fazer da Copa A Gazetinha um palanque eleitoral, contribuiu um pouquinho para a sua vitória porque muitos não gostaram daquilo, principalmente os pais de atletas.